O Charme de Paris

DIA 1 – Chegada a Paris e Palácio de Versalhes

Pegamos o voo da Turkish Airlines aqui em São Paulo rumo a Istambul e por ser um voo noturno, foi bem tranquilo. Chegamos em Istambul por volta das 22 horas (horário local) e como teríamos uma escala de 10 horas para o próximo voo rumo a Paris, tivemos o direito de hospedar em um hotel oferecido gratuitamente pela companhia aérea.

Depois de carimbar o passaporte na imigração, vá a Starbucks no saguão de desembarque e entregue os seus bilhetes aéreos no balcão de reservas de hotel que serão chamados pelo nome.

Quando o funcionário chamou a nossa vez, eu imaginava que seria um hotel simples perto do aeroporto, mas o ônibus rodou tanto e tanto que fiquei preocupado com a possibilidade de ter que acordar mais cedo para retornar ao aeroporto. Mas quando chegamos, era o hotel Hilton que – para mim – é bem luxuoso rs. Tomamos banho, dormimos poucas horas, pegamos o ônibus de volta ao aeroporto e tomamos café lá mesmo.

O voo para Paris foi novamente tranquilo, assim como na imigração. Mas quando chegamos para retirar as nossas malas na esteira, bem… cadê as malas? Não só as nossas, mas de todos que estavam no voo rs. Foi uma hora esperando e os funcionários estavam liberando, aos poucos, as malas. O meu palpite é que que eles estavam vendo cada mala, um por um, pelo raio-x.

Fazer o quê, né? Tudo pela segurança da França que vive sob ameaça constante de terrorismo.

A partir daí, foi só curtir a cidade das luzes! No aeroporto ainda, compramos um bilhete de transporte público para 5 dias que valia para metrô, trem e ônibus. Pegamos um trem rumo ao hotel, sem dificuldades.

Quando saímos na estação de trem, a primeira coisa que vimos foi a Torre Eiffel saudando a nossa chegada. Mas lembro que a primeira impressão não foi tão positiva. Quando vi a Eiffel durante a tarde, pensei: mas é só isso mesmo que todos falam? Foi só a noite cair que a Torre se iluminou e eu me apaixonei pela vista.

Atenção: a Torre Eiffel pisca as luzinhas a cada hora que começa (20h, 21h, 22h…), dura cerca de alguns minutos e vale a pena tirar fotos e admirar o ícone de Paris.

Ficamos hospedados no Adagio que é um hotel apart no bairro Quartier de Grenelle – a 10 minutos a pé da Torre Eiffel e da estação de metrô e trem.

O nosso apartamento tinha dois banheiros (um com pia e chuveiro e outro com pia e privada), uma sala grande com um sofá que lembra uma bi-cama com dois colchões e um quarto com uma cama de casal (ou duas de solteiros), na sala ainda funcionava uma cozinha completa com geladeira pequena, cocktop, microondas, uma mesa e pia para lavar louças. É um apartamento perfeito que acomoda até 6 pessoas e tem louças, panelas e talheres para quem quiser cozinhar no apartamento.

Perto do hotel, há um mercadinho chamado Franprix, onde você encontra o essencial para aproveitar melhor as suas estadias em Paris como alimentação e itens de higiene. Mas atenção: compre apenas o essencial! Por mais que os preços baixos sejam uma tentação, compre somente aquilo que você irá consumir.

Ainda no primeiro dia em Paris, fizemos um check-in no hotel, deixamos as malas, comemos um sanduíche rapidinho na rua (prepare os bolsos! Uma lata de Coca-Cola custou 3 euros – faça a conversão por conta própria rs.) e fomos logo a estação de trem rumo ao Palácio de Versalhes.

O transporte público de Paris é muito fácil de entender e de usar – o que realmente demora são as baldeações, mas para quem está acostumado com o metrô de São Paulo, Paris é fácil rs.

Pegamos o trem RER C (amarelo) na estação Champ de Mars – Tour Eiffel e descemos na estação Versailles. Para chegar ao Palácio, foi muito fácil. Mas eu lembro que, ao chegar ao Palácio, não passou pela minha cabeça que teria uma cidade em volta. Vejo as fotos na Internet e a gente não vê a cidade, somente o Palácio! rs.

Atenção: por mais que o trem esteja na estação que você está, não são todos os trens que vão para o destino que você deseja ir. Fique atento a isso! Há painéis na estação que indicam o destino nos próximos trens.

O Palácio de Versalhes é lindo e espetacular. Você tenta entender como tudo isso funcionava lá nos séculos 17 e 18 com toda aquela dimensão, o luxo e o poder. É incrível estar em um lugar que praticamente deu início a uma mudança no mundo. Não é à toa que tudo isso gerou revolta do povo e do início da Revolução Francesa.

Voltamos, fomos ao mercadinho e depois ao hotel. Ficamos no apartamento e saboreamos queijos e vinho, conversando e admirando a vista da Torre Eiffel.

Ainda à noite, resolvemos sair para dar uma volta e tirar a foto da Eiffel toda iluminada. Apesar do frio que estava bem intenso para mim (sou um caiçara!), foi uma noite mágica passear com o charme de Paris – é realmente uma cidade única.

 

 

DIA 2 – Passeio pela Paris

Vamos passear?!

O segundo dia foi um dia dedicado para conhecermos a cidade de Paris. Como teríamos apenas poucos dias, foi inevitável não conseguirmos visitar todos os lugares que queríamos. Mas isso já é um convite para uma outra oportunidade! Quem sabe, na primavera ou no outono?

Acordamos, tomamos café da manhã no apartamento e já fomos comprar nossos tickets para o ônibus turístico estilo hop-on hop-off. Pegamos a empresa Open Tour que parava pertinho do hotel.

O Open Tour é um ônibus que conta com dezenas de paradas em quatro linhas por toda a cidade turística de Paris e você pode descer em alguma das paradas, visitar alguma atração turística ou simplesmente passear e depois pegar outro ônibus em outra parada sem pagar nada a mais por isso.

A empresa oferece até 3 dias consecutivos para você utilizar os ônibus e cada assento possui uma saída de som para você colocar os fones de ouvido oferecidos pela empresa. Há áudios em mais de dez idiomas – inclusive português brasileiro – e narra sobre a cidade e as atrações turísticas conforme o ônibus vai passando.

Vale a pena comprar e aproveitar a cidade sem preocupação. Se você tiver mais tempo, sugiro que pegue o de 3 dias.

Nossa primeira parada foi no Musee d’l Armee – que é o museu das armas. É um museu que conta a história das guerras que a França enfrentou e possui um acervo incrível de armaduras, uniforme do Exército, armas, punhais e até o cavalo branco empalhado de Napoleão!

Como tínhamos pouquíssimo tempo em Paris, não tivemos como ver tudo no museu com calma e fomos direto a Tumba de Napoleão que era o nosso objetivo.

Quando vi o túmulo do Napoleão, achei uma coisa tão surreal! rs. Era enorme para um homem pequeno (tinha 1,68m) e com uma história sangrenta por trás. A decoração impressiona os visitantes e dá para sentir que França realmente o venerava.

Após a Tumba do Napoleão, fomos caminhando até o Champs Elysée, atravessando a ponte do Rio Sena. É um passeio bem agradável, mas o frio e a chuva não me deixava muito absorver o momento rs.

Conhecemos toda a avenida do Champs Elysée, visitamos algumas lojas e até o da Disney. Bem lá no final da avenida, vimos o Arco do Triunfo.

Se tivéssemos um pouco mais de tempo, eu gostaria de subir até o topo do Arco e ver mais de perto os seus detalhes. Na próxima, irei!

Depois do passeio pela avenida mais cara do mundo rs, pegamos um metrô e fomos até a estação Repúblique. Paramos lá para almoçar em um restaurante na praça e foi um almoço super agradável.

Logo depois, fomos até a região de Montmartre e pude ver a fachada do Moulin Rouge. Lembro de ter visto uma foto em algum lugar que mostrava como era o cabaré no início do século 20 e posso falar que houve muita diferença! Hoje é um lugar turístico e oferece show com jantar.

Fomos caminhando e subindo pelas ruazinhas na região, vendo as lojas até chegarmos a Basílica de Sacré Cœur e depois me deparar com a vista esplêndida pela Paris.

A Basílica de Sacré Cœur é belíssima e nos transmite uma sensação de paz e de tranquilidade uma vez que você está lá dentro. Vale a pena entrar para conhecer o interior da basílica. Infelizmente, era proibido tirar fotos ou filmar lá dentro. E logo depois, fomos descendo pela escadaria de Montmartre (aquela praça encantadora do filme Amélie Poulain).

Dica: fique esperto com as pessoas na escadaria. Vão tentar te abordar, falando em vários idiomas para te “fisgar”, colocar a pulseirinha em você. Eles podem ser bem agressivos. Finja que não está os vendo e passe reto!

No bairro de Montmartre, tem muitas lojinhas de lembranças e de souvenirs. Aproveite para passear com calma, comprar as coisinhas e comer um autêntico crepe francês com Nutella.

Depois fomos a famosa Galeries Lafayatte. A arquitetura do interior é lindíssima, mas como não sou uma pessoa muito consumista, não me impressionou muito o que tinha lá dentro rs. Tudo é caro, tudo mesmo rs. Apenas passamos para conhecer e fomos embora (e também, já estava cansado depois de andar o dia inteiro rs!).

DIA 3 – Passeio pela Paris – parte 2

Hoje foi um dia mais tranquilo que ontem e deu para aproveitar melhor com o céu aberto e o sol aquecendo as nossas almas neste tempo gelado.

A primeira parada foi conhecer a Catedral de Notre Dame. É uma das mais antigas catedrais da França e tem mais de 800 anos de existência. O que mais me impressionou nesta Catedral é que a sua construção demorou quase 200 anos para ser construída – passando por vários arquitetos, pequenas demolições e inclusão de outros elementos de acordo com o estilo na época. Dentro na Catedral, há uma pequena exposição que mostra a evolução da Catedral. Logo posto no vídeo.

Depois, fomos caminhando até chegarmos aos Jardins de Luxemburgo. Não sei bem qual é a história do jardim, mas como o tempo estava maravilhoso, foi muito gostoso apreciar esse momento.

Passeamos, vimos as estátuas das rainhas francesas de mais de mil anos e depois paramos para tomar um café quente enquanto aguardavamos o nosso ônibus da Open Tour.

Pegamos o ônibus, mas já descemos rs! Pois estavámos pertinho das Catacumbas de Paris e queríamos muito conhecer!

Atenção: as Catacumbas de Paris oferece isenção para deficientes. Clique aqui para saber os outros lugares em Paris – incluindo a Disney!

As Catacumbas de Paris são um ossuário subterrâneo que cobre praticamente toda a cidade. Foram construídas para resolver o problema da superlotação dos cemitérios e também das doenças decorrentes da decomposição dos corpos.

Não dá medo em nenhum momento e o passeio vale toda a experiência. Não deixe de visitar!

Depois pegamos o ônibus e passeamos por toda a Paris. Fomos para o centro mais moderno, um pouquinho longe da parte histórica. Acredito que passeamos por cerca de uma hora e pouco de ônibus e descemos na Catedral de Notre Dame.

Queríamos ter pego um barco no rio Sena que estava incluído no ingresso do ônibus, mas já tinha fechado.

O jeito foi procurar um restaurante nas redondezas para almoçarmos. Paris é muito diferente de São Paulo no quesito de horário dos restaurantes. Quando faltam 20 minutos para fechar (era quase 17h da tarde rs), o garçom avisa para pedir rápido que a cozinha vai fechar e a gente decidindo logo qual prato comer rs. Quando chegaram os pratos, vejo o chef indo embora rs. Comemos rápido pois como não sabíamos como era a rotina, pagamos e tchau rs.

Pegamos um metrô e fomos a avenida da Champs Elysée de novo – queríamos comprar os ingressos para os parques da Disney, mas ainda bem que não conseguimos rs. Então apenas passeamos, comemos uns macarons para provar e fomos andando de volta ao hotel, conversando, apreciando a cidade e tirando fotos. Descansamos no hotel pronto para um novo dia!

 

DIA 4 – Disneyland Paris

Quem me conhece, sabe: a melhor parte da viagem havia chegado – Disney! rs.

Pegamos o metrô 6 (verde) na estação Champ de Mars – Tour Eiffel e descemos na estação Charles de Gaulle – Étoile. Lá pegamos um trem RER A (vermelho) e descemos na estação Marne-la-Vallée. A viagem toda demorou cerca de 1h30 para chegar aos arredores da Disney.

A região conta com dois parques – Disneyland e Walt Disney Studios – e uma área de entretenimento com lojas e restaurantes chamada Disney Village (parecido com Disney Springs em Orlando).

Um erro que muitos visitantes cometem é que não sabem que há dois parques em Paris! Portanto, vale a pena reservar dois dias somente para conhecer com calma.

Compramos os ingressos lá na bilheteria com desconto para deficiente (clique aqui) para os dois parques e dois dias.

A Disney sempre é muito especial para mim desde que eu era pequeno – tanto nos desenhos quanto nos parques. Já fui duas vezes para Orlando e todas as vezes, foram mágicos. Em Paris, não foi diferente.

Eu havia ganhado um passe verde que nos davam o acesso a fila prioritária (mas não imediata) dos brinquedos em dois parques com até um acompanhante para o desfile e os brinquedos – estávamos em três. Mas como meu inglês não é tão fluente para entender oralmente, resolvi ler as regras do passe enquanto eu aguardava na fila normal de uma atração, eu entendi que o passe dava direito até quatro acompanhantes somente aos brinquedos e resolvemos testar. Fomos até a próxima atração e quando mostrei o passe verde, o funcionário da Disney havia me orientado a ir na saída. Outro funcionário verificou o passe e perguntou quem era o portador. Me apresentei e ele nos orientou a ir para a fila preferencial com todos nós ainda na saída. Chegamos na fila e cinco minutos depois, já estavámos andando no brinquedo!

Pensa na felicidade que eu senti! Hahahaha. Era maravilhoso poder usufruir do benefício sem ficar tanto tempo nas filas e quando eu olhava quanto tempo demorava a fila normal – era mais de 1h, 1h30 até 2h – dependendo da atração! Hahaha.

Fomos em praticamente todos os brinquedos que pudemos curtir e ainda repetimos em alguns, porém infelizmente as atrações Piratas do Caribe e o Space Mountain estavam fechadas para a manutenção. Havíamos terminado tudo era por volta das 18h e faltavam duas horas para o show de fogos.

Fui comprar um hot dog (na fila prioritária! hahah) e ficamos sentados num lugar estratégico, aguardando o show. Pode parecer estupidez ficar esperando duas horas, mas foi muito importante! Faltando uma hora, já estava começando a encher e a encher e quando começou, estava lotadíssimo! Mas atenção: como tem crianças (e pais) folgados!

O que resta é respirar fundo e curtir o show Disney Dreams que foi incrível com a melhor vista que tivemos!

O show conta uma história sobre a sombra do Peter Pan que foge e vai passando pelas várias histórias e princesas da Disney com as canções emocionantes como Be Our Guest (A Bela e a Fera), Friend Like Me (Aladdin), Circle of Life/I Just Can’t Wait to Be King/Hakuna Matata (Rei Leão), Let it Go! (Frozen), You Can Fly (Peter Pan) e muitos mais. São 20 minutos de show e não tem como não ficar arrepiado enquanto assiste a um espetáculo incrível como este.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Infelizmente, o show Disney Dreams acabou algumas semanas depois que fomos. Ficou por 5 anos e como a Disneyland Paris está comemorando 25 anos em 2017, eles renovaram praticamente todo o parque e o show agora se chama Disney Illuminations.

Mas logo postarei o vídeo (filmei tudo!) e vocês vão entender o por quê de tão impressionante.

Fomos embora depois do show e passeamos um pouco no Disney Village, visitando as lojas. Pegamos o trem de volta a cidade de Paris e havíamos chegado no apartamento já era meia noite, bem cansado, mas eu estava muito feliz e realizado por ter tido um dia maravilhoso.

 

DIA 5 – Walt Disney Studios e Disney Village

Voltamos mais uma vez a Disney, desta vez, para conhecer o outro parque – o Walt Disney Studios – que é uma inspiração ao parque Hollywood Studios em Orlando, mas em menor escala. É um parque voltado ao cinema e que dá para curtir tudo em algumas horas (com o bendito passe verde! hahaha) e depois curtir a noite no Disney Village.

E foi o que fizemos. Chegamos um pouquinho mais tarde, pois já tinhamos os ingressos e o passe verde economizaria muitas horas de fila rs. Mas foi um dia tão frio e chuvoso o tempo todo.

Apesar do clima, conseguimos visitar todos os brinquedos sensacionais como: Crush’s Coaster, The Twilight Zone Tower of Terror (achei diferente de Orlando e adorei!), Rock’n’Roller Coaster starring Aerosmith (fomos duas vezes seguidas em 30 minutos! hahaha) e o show Moteurs… Action! Stunt Show Spectacular. O Studio Tram Tour: Behind the Magic estava fechada para manutenção.

Foi um dia que passou voando, mas muito agradável e divertido.

À noite, fomos passear no Disney Village e jantar no restaurante Rainforest Cafe. É um restaurante temático que ambienta dentro de um vulcão com sons de dinossauros, elefantes e pássaros. Servem carnes e massas bem estilo Outback. Como já tinhamos ido em Orlando e em Dubai, eu não podia deixar de ir em Paris! Hahaha.

Assim foi o nosso dia. Voltamos para Paris, mas já desejando logo uma próxima ida a algum parque Disney em algum lugar no mundo.

 

DIA 6 – Louvre e Torre Eiffel

O último dia em Paris foi reservado para conhecermos o museu mais famoso e visitado do mundo: o Louvre! E o clima não estava contribuindo em nada rs. Que dia frio e chuvoso, diminuindo ainda mais a sensação térmica!

Quando faz frio, eu não consigo raciocinar direito rs. Chegamos ao Louvre e nos deparamos com uma fila enorme e demoramos quase 1h na chuva até que, quase na chegada, vi a placa de deficiência. Não preciso falar que fui lá correndo se eu podia e a moça prontamente liberou para entrarmos logo? Hahaha.

Como disse, não consigo raciocinar no frio e se tivesse visto melhor no começo, não teríamos pego a fila rs.

Entramos no Louvre e ai descobrimos o motivo de tanta gente na fila: era o primeiro domingo do mês. Quando cai neste dia, a entrada é gratuita para todos! Uma iniciativa muito legal, né? Assim todos têm acesso. O benefício só vale na baixa temporada.

O museu é lindo, gigante e com milhares de acervos para conhecer. Infelizmente, só tínhamos meio dia para conhecer tudo e pudemos ver os aposentos do Napoleão Bonaparte, as artes renascentistas e as artes egípcias e mesopotâmicas. Eu gostaria muito de voltar à este museu para conhecer tudo com calma.

Há outro museu em Paris – o Museu Orsay – mas só fiquei sabendo da sua existência depois que voltei ao Brasil.

Pegamos o metrô e fomos finalmente conhecer a Torre Eiffel. Construída em 1887, a estrutura impressiona até hoje os visitantes do mundo todo e você tem uma bela visão por toda a cidade de Paris.

Descemos e fomos passear um pouco pela cidade. Estávamos procurando uma farmácia, mas quando a encontramos, estava fechada e resolvemos tomar um bom chocolate quente para aquecer o corpo.

Andamos mais um pouco até o Champs Elysée durante o entardecer chuvoso e voltamos ao apartamento. Jantamos no hotel mesmo, arrumamos as malas e fomos dormir que o voo para Istambul estava nos aguardando na manhã seguinte.

Paris, eu amei te conhecer. Conseguiu me cativar com o seu charme e as suas histórias. Um dia, eu volto para ficar um mês para conhecer tudo com calma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *